Infravermelho pode ser a solução para acabar com os cabos em data centers

A presença marcante da engenharia nos ambientes de Data Center comprova cada vez mais o seu valor, definindo novos rumos para o desenvolvimento e projeção dos grandes centros de dados. Apesar do avanço tecnológico nas formas de conexão e no tráfego de dados, o uso do “cabeamento estruturado” ainda é uma realidade cotidiana por trás dos ambientes de Data Center. O volume de fios que interconectam os servidores, switches, roteadores e entre outros equipamentos é um dos maiores antagonistas da organização e aproveitamento de espaço, causando dores de cabeça aos profissionais de infraestrutura.

Testes comprovam que as tecnologias como Wi-Fi ou quaisquer outras conexões sem fio à base de rádio não servem para substituir este amontoado de fios. Isso porque que a interferência e a largura de banda ainda são as grandes barreiras para adoção destas tecnologias, não atendendo às exigências na demanda de acesso e do tráfego de dados da nuvem.

A solução “FSO”- (Espaço Livre)

Visto este cenário, uma equipe de engenheiros dos EUA em conjunto com as universidades da  Pensilvânia,   Stony Brook  e  Carnegie Mellon encontraram uma solução para acabar definitivamente com essa estrutura de cabos que conhecemos, através da utilização da tecnologia de infravermelho, na qual é possível utilizar o laser infravermelho e receptores montados em cima dos racks de centro de dados para transmitir informações. Os módulos do laser são rapidamente reconfiguráveis ​​para adquirir um alvo em qualquer rack sem sofrer qualquer interferência no sinal, pois o feixe de infravermelho é muito estreito, aumentando sua precisão e reduzindo à zero as interferências no sinal de transmissão.

Representação básica  da arquitetura Firefly

Percebam que o Fireflye Controler gerencia o tráfego entre os racks, através da mudança de regra no switch e nos dispositivos de infravermelho (FSO). Com isso, o gerenciamento passa a ser mais inteligente e, assim, evita possíveis congestionamentos no tráfego entre os equipamentos. Com uma mudança radical comparada às arquiteturas existentes nos ambientes de Data Center, esta tecnologia busca proporcionar uma infraestrutura altamente flexível e adaptável, reduzindo custo com o cabeamento, aproveitando melhor o espaço e facilitando a manutenção nos grandes centros de dados.

Benefícios:

  • Redução no custo de infraestrutura sem comprometer o desempenho.
  • Aumento da capacidade operacional.
  • Redução da complexidade e custo com cabeamento.
  • Flexibilidade para construção de novas topologias de rede.
  • Livre circulação do ar refrigerado e consequente redução nos custos energéticos.

Apesar desta tecnologia se encontrar em processo de desenvolvimento, podemos visualizar um novo cenário para os ambientes de Data Centers, mais flexíveis e com maior otimização de espaço e de recursos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enviar mensagem
Fale com o nosso especialista
Olá, como podemos ajudar?