Aplicações e Mitos da IoT

Internet das Coisas: aplicações e mitos

Cada vez mais a Internet das Coisas (IoT – da sigla em inglês) agrega valor e uma gama de possibilidades aos negócios digitais. Essa revolução silenciosa que a IoT tem proporcionado está modificando completamente o rumo do mercado global e suas tendências. De acordo com uma pesquisa recente da Unidade de Inteligência Economista (EIU – The Economist Intelligence unit), 96% dos líderes de negócios esperam incorporar a Internet das Coisas em suas organizações, de forma direta ou indireta nos próximos anos.

Esse crescimento na adoção e investimento em tecnologias com grande potencial disruptivo e o alto grau de volatilidade no meio corporativo deve-se ao amadurecimento da visão da TI definida por negócios, ou seja, estamos tomando um caminho sem volta. Não é mais possível visualizar o setor de TI da sua organização apenas como um recurso à parte do seu modelo de negócios. É importante saber que tais iniciativas não são apenas para grandes corporações. A Internet das Coisas também oferece muitas oportunidades para as pequenas e médias empresas ou até mesmo startups, apresentando-se como diferencial para o sucesso e a competitividade neste mercado dinâmico.

Aplicações possíveis da IoT para PMEs e Startups

Selecionamos algumas aplicações da Internet das Coisas para pequenas empresas destinadas à criação de novas soluções que integrem dados, modernizem estruturas  e automatizem processos.

  • Design e Marketing de Produto

Através dos programas de análise de produto é possível coletar informações sobre o mesmo, sua aceitação no mercado e usabilidade, trazendo dados essenciais, em tempo real, que viabilizam a criação de estratégias eficazes para sua inserção bem sucedida no mercado.

  • Manutenção do Produto e Processos de Fabricação

Processos importantes no desenvolvimento de um produto, trazendo melhorias na produção e a manutenção de seus produtos de forma a reduzir tempo e custos. Com o desenvolvimento da tecnologia Digital Twin (que pode ser traduzida como Gêmeo Digital), por exemplo, todo este conceito está sendo colocado em prática. A tecnologia consiste na combinação de dados e inteligência que representam a estrutura, o contexto e o comportamento de um sistema físico de qualquer tipo, oferecendo uma interface que permite compreender a operação passada e presente, para assim, fazer projeções. Basicamente a tecnologia transforma produtos ou serviços físicos em ambientes virtuais que respondem a sensores. Ela possibilita estudar novas formas de negócio a fim de melhorar a produtividade, adquirindo novos conhecimentos, desenvolvendo novas abordagens na criação e manutenção de produtos e serviços de forma inteligente.

  • Agricultura

A cada dia vemos novas soluções tecnológicas para automatizar o setor agrícola, principalmente soluções de IoT, aquecendo o mercado com novas oportunidades de negócio. Podemos contextualizar a aplicação de IoT neste setor através de sensores, responsáveis por monitorar a temperatura do ar, do solo, velocidade do vento, umidade, radiação solar, probabilidade de chuva, umidade das folhas e coloração das frutas, gerando dados analíticos de grande valor para o setor.

  • Saúde

A medicina está cada vez mais aderente às soluções que automatizam suas rotinas e auxiliam na análise de diversos dados clínicos. Os profissionais de saúde têm fácil acesso a dados mais completos de seus pacientes, melhorando o atendimento através de diagnósticos e tratamentos mais eficazes, já as instituições têm maior controle e gerenciamento de seus estoques, insumos, processos e funcionários.

Desmistificando os projetos IoT

Ficar atento aos mitos comuns sobre a Internet das Coisas é passo importante na hora de desenvolver projetos IoT, evitando impactos no custo e prazo de sua implantação. Veja abaixo alguns mitos e como não se deixar levar por eles:

1. Focar no ROI

Nos estágios iniciais, é difícil saber o impacto que o IoT terá em seu negócio utilizando apenas o ROI como parâmetro. A melhor solução é realizar uma prototipagem rápida. Isto ajudará na definição de outras métricas essenciais para o seu negócio, servindo como um guia para o andamento de seu projeto. É importante, nas fases experimentais, fazer projetos-piloto rapidamente, experimentar coisas novas e aprender com falhas, permitindo maior amadurecimento da solução.

2. Analisar os requisitos de rede nas etapas finais

A IoT demanda muito da infraestrutura para garantir sua integração e conectividade com os diversos dispositivos e sistemas. Por isso, é fundamental que, desde a etapa do esboço do projeto, todos os requisitos sejam analisados detalhadamente, considerando os aspectos levantados como características essenciais para a modelagem do projeto.

3. Trazer fornecedores após a definição do projeto

Os fornecedores são a base para iniciar qualquer projeto IoT. Eles assumem um papel fundamental servindo como facilitadores para o andamento do projeto. Estabelecer o relacionamento da sua equipe com seus fornecedores é a chave para determinar os rumos da solução desenvolvida. Uma vez que muitos aspectos do IoT não podem ser testados ou comprovados em laboratórios, mas apenas com usuários reais e clientes externos, trazer fornecedores desde o início do projeto é a melhor forma de aumentar as chances de sucesso nas suas estratégias.

4. Considerar o risco de segurança após a conclusão do projeto

Internet das Coisas implica em ter mais dados disponíveis e trafegando em uma malha digital, conectando diversos dispositivos e sistemas. Isso faz com que o maior desafio para a área de segurança e seus profissionais seja o de assegurar a confidencialidade dos dados neste ambiente complexo,  minimizando suas vulnerabilidades. Portanto, é uma falha irreparável considerar qualquer risco após a conclusão do projeto. A prática de segurança deve estar alinhada com o projeto desde o início, pois, da mesma forma que o projeto evolui suas características ao longo do tempo, a segurança passará por esse mesmo processo.

Neste cenário, é essencial que as organizações adotem novas abordagens para modernizar sua estrutura, utilizando plataformas inteligentes que potencializem a integração dos dados e seu gerenciamento, acompanhando as tendências. Essa é a garantia de competitividade e sucesso nos negócios. Com toda essa diversidade de ferramentas e soluções, não há momento melhor para se começar do que agora.

Quer mais dicas de como implementar soluções tecnológicas de forma segura e eficiente? Baixe o nosso infográfico AQUI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *