Next generation Firewall

O Firewall não é mais o mesmo – e nem poderia, porque a forma de acessar a internet também não é mais a mesma. Antes cabia ao administrador compreender como cada protocolo funciona para então criar regras baseadas nos parâmetros de TCP/IP e, por outro lado, aplicações eram criadas justamente para usar regras permitidas de forma a driblar o sistema e criar brechas para acessar serviços não permitidos.

Agora tudo ficou muito mais simples, prático e seguro com o Next Generation Firewall. O sistema, que além de proteger portas e protocolos de rede identifica também o conteúdo, o usuário e as aplicações sem conhecer detalhes do protocolo. É a mais nova e eficiente solução de segurança adotada por empresas de todos os setores.

As vantagens são tantas que o Next Generation Firewall já está sendo adotado por grandes empresas, como o MetrôRio, que ainda conseguiu eliminar o uso de várias aplicações indesejadas durante o período de adoção da solução, como Netflix, BitTorrence e Grooveshark, por exemplo, causando impacto direto na produtividade da empresa.

Isso porque, além de ser muito mais simples de configurar, sem a necessidade de investimento com especialização na ferramenta, a solução identifica não apenas o IP do usuário, mas o próprio usuário, e permite criar regras específicas – gerando algumas das mais importantes e profundas mudanças na gestão da área de TI .

Dessa forma, por exemplo, é possível liberar o LinkedIn ou “Facebook corporativo” mas bloquear o “Facebook jogos”. O Next Generation Firewall ainda inspeciona todos os pacotes, procurando por mecanismos que tentem burlar as regras, identificando o tráfego potencialmente malicioso.

O tráfego malicioso é justamente o foco do Projeto de Lei (PL) 3237/2015 proposto pelo deputado Vinicius Carvalho (PRB-SP) e que aguarda designação de relator na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. Pelo PL, os clientes poderão ser obrigados a fazer um cadastro prévio para terem direito ao wi-fi gratuito em seus próprios dispositivos móveis ou notebooks em cafés, restaurantes, bares, shoppings, livrarias e até praças públicas, por exemplo.

De acordo com o autor do projeto, o compartilhamento de IP atrapalharia nas investigações dos crimes cibernéticos. O grande problema é que a medida acarretaria na manipulação de uma quantidade imensa de dados sem garantia de que o “administrador do sistema autônomo” tenha estrutura para isso.

É justamente essa estrutura que o Next Generation Firewall proporciona. Além de ser mais fácil eliminar violações e redefinir regras de segurança através da maior visibilidade das aplicações utilizadas no negócio, a transição para essa nova solução pode ser feita sem impactos negativos no ambiente, com a migração gradual dos serviços de forma a garantir o funcionamento normal de cada um deles no horário comercial.

Ao absorver as complexidades cada vez maiores dos acessos feitos pelos usuários, o Next Generation Firewall garante mais segurança, maior aproveitamento da banda larga, melhor fluxo de dados e ainda propicia o aumento da produtividade, revertendo em economia para o ambiente corporativo.

Agora que você já viu como o Next Generation Firewall pode solucionar vários problemas da sua empresa, você deve conferir 5 dicas para implementar soluções tecnológicas e impulsionar ainda mais seu negócio rumo ao futuro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enviar mensagem
Fale com o nosso especialista
Olá, como podemos ajudar?