O novo papel do CIO: inovador em um mundo de negócios em constante evolução

A C-Suite está se tornando superlotada com os novos títulos de nível C sendo introduzidos regularmente – Chief Information Officer, Chief Privacy Officer, Chief Cloud Officer, Chief Marketing Officer, Chief Social Media Officer, Chief Security Officer, Chief Risk Officer. Estes novos papéis são, muitas vezes, pouco claros em seu objetivo e diferem do papel do CIO tradicional.

Muitos membros do C-suite têm papéis importantes: o CTO é crítico ao lidar com produtos e o CFO é necessário para diminuir os custos e reduzir os riscos organizacionais. Mas o CIO possivelmente ocupa um dos assentos mais importantes na mesa do C-Suite. Este profissional trabalha como facilitador da agilidade comercial. O CIO tem a capacidade de ajustar o relacionamento de uma empresa com o risco. Ele tem o poder de alavancar a engenhosidade. No entanto, cada vez mais, os CIOs estão se concentrando na redução de custos e na mitigação de riscos.

Mas e se o papel do CIO não fosse apenas oferecer táticas em relação aos requisitos comerciais pré-existentes, mas redefinir o que é possível para uma empresa?

Hoje, o desafio e a oportunidade são sobre agilidade. As tecnologias que permitem que as organizações se conectem diretamente com os clientes, para controlar seus ambientes, monitorar feeds sociais e reajustar a cadeia de suprimentos, exigem que os limites tradicionais sejam quebrados. Pesquisa e desenvolvimento, produção, distribuição, finanças emarketing estão agora intimamente integrados. Como um maestro, o CIO precisa orquestrar cada aspecto do ecossistema técnico para garantir que a organização esteja harmonizando táticas empresariais com uma estratégia técnica sólida. Ele precisa adaptar-se ativamente às inovações e abraçar a inovação ao mesmo tempo em que minimiza os riscos.

Ao jogar com este equilíbrio, o CIO também precisa mudar a percepção de que os sistemas técnicos são “apenas encanamento” para uma visão mais favorável: a tecnologia tem o poder de entregar valor e oportunidade para o negócio. Os sistemas empresariais, por exemplo, são muitas vezes confundidos com utilitários de back-end e não como meio de gerar novos fluxos de receita e oportunidades de mercado. As soluções de segurança são vistas como uma espécie de política de seguro tecnológico, e não como uma tecnologia habilitadora que abre conexões autenticadas e colaboraçãoque, de outro modo, seria impossível.

As muitas funções do CIO inovador

Para redefinir o que é possível para uma empresa, o CIO tem que adotar quatro sub-papéis: estrategista, catalítico, tecnólogo e operador.

Ao adotar esses papéis, o CIO se tornará diretor e condutor da inovação empresarial, impulsionando o valor de maneiras que seus colegas orientados a negócios possam entender. Defender e facilitar a agilidade dos negócios, encaixando as necessidades de todos os setores, reinvestir e melhor continuamente a infra-estrutura técnica e proteger todo esse investimento é o coração do papel inovador dos CIOs.

Estrategista

CIOs inovadores se associam a todos os aspectos do negócio para maximizar o valor dos investimentos em tecnologia, gerar receita, gerar novas oportunidades e enfrentar desafios e riscos. As soluções necessárias para ser uma organização ágil, para se conectar à Internet das coisas e detectar e reagir ao meio ambiente, abrangem muitas tecnologias e limites funcionais – recursos humanos, marketing, cadeia de suprimentos e fabricação, são exemplos. A pessoa que executa os programas de RH ou de marketing provavelmente não está ciente de todo o ecossistema, os desafios que um ajuste em uma área pode causar em outra, ou ser capaz de coordenar as ferramentas, o ambiente e a segurança necessários para todas as funções.

Catalizador

O CIO como catalisador aproveita a engenhosidade para racionalizar estratégias empresariais díspares e conduzir projetos que ofereçam novos serviços ao negócio. Como catalizador, o CIO deve considerar o impacto comercial dos projetos de TI, procurar tecnologias de baixo custo, com grande impacto e que forneça a liderança necessária para maximizar o retorno do investimento. À medida que os CIOs reduzem os custos e ganham maior utilidade, eles devem reinvestir em projetos de TI, tanto para melhorar a segurança quanto para a arquitetura técnica, bem como investir em tecnologias emergentes antes que o negócio considere necessário. Com o reinvestimento sustentado, o CIO será capaz de inovar antes do jogo, fornecendo serviços e ferramentas antes do negócio até mesmo perceber seu valor. E, trabalhar como agente de mudança mostrando que, no fim das contas, toda despesa é uma despesa de TI.

Tecnólogo

Atualmente as pessoas têm mais acesso à informação. Mas como você assegura esta paisagem tecnológica sempre crescente? O tecnólogo CIO deve orquestrar adequadamente as aplicações tradicionais, baseadas em nuvem, a interface com a internet das coisas e lidar com as complexidades das tecnologias de detecção, entre outras tecnologias disruptivas. As organizações precisam estar preparadas para os ataques de segurança que se possam vir a acontecer e ter um plano para lidar com o desconhecido, ao mesmo tempo que fornece um ambiente capaz de integrar novas tecnologias. A chave para tudo isso é garantir que o ambiente e os dados que fluem dentro e fora da organização estejam seguros enquanto as necessidades do negócio estão sendo atendidas. Risco de equilíbrio constante, segurança e arquitetura técnica de acordo com a necessidade, custo e benefício do negócio não são tarefasfáceis, e cabem ao CIO.

Operador

Finalmente, no papel de um operador, as responsabilidades do CIO incluem contratação de talentos, supervisão de TI e garantir que os sistemas críticos sejam mantidos funcionando corretamente. As tarefas operacionais que mantêm as luzes acesas não vão desaparecer e, na verdade, são a base da capacidade dos CIOs de inovar. Espera-se que estes profissionais funcionem bem em uma capacidade operacional, desenvolvendo, implementando e mantendo uma arquitetura de TI sã e integrada. Também é seu papel implementar novos projetos respeitando prazos e orçamento, contratar pessoal com os conhecimentos e as habilidades necessárias para atingir os objetivos de desempenho. Não atender qualquer um desses itens pode ser um desastre para a reputação de um CIO dentro do negócio. A manutenção de uma infraestrutura de TI estável e recursos de gerenciamento de projetos deve ser a prioridade número um para um CIO. Sem o CIO como operador, nenhuma inovação é possível.

Olhando para o futuro

A transição do CIO, dentro de uma organização, de seu papel original para o de um inovador possui vários desafios. Muitas dessas questões crescentes resultam da necessidade do CIO e as equipes de TI de ultrapassarem seus papéis tradicionais, uma vez que as empresas se concentram mais no aumento das receitas e outros papeis dentro da C-suite começam a assumir novas tarefas. Cada vez mais, os CIOs que conseguem demonstrar que são líderes empresariais e que supervisionam a TI e não são, apenas, responsáveis ​​pela entrega de TI terão maior sucesso demonstrando o valor de um CIO verdadeiramente inovador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enviar mensagem
Fale com o nosso especialista
Olá, como podemos ajudar?